“Não existe mais o mundo digital ou real, eles agora são um só”. A frase é de Walter Longo, presidente da agência Grey Brasil, e representa bem o que anda acontecendo com empresas predominantemente tecnológicas que começam a utilizar meios tradicionais para divulgar seus trabalhos.

Em recente artigo publicado no site da revista especializada Adweek, a jornalista Lauren Johnson conversa com algumas dessas empresas que resolveram apostar no offline para divulgar o online. É o caso da Boxed, startup que coloca as compras por atacado no bolso dos consumidores. A empresa apostou em mídia Out of Home (OOH) pela segunda vez em sua mais recente campanha. “Mesmo sendo mais caro, nós conseguimos recuperar os custos”, diz Chieh Huang, CEO da Boxed, ressaltando que o ROI é um grande atrativo nestes meios.

Outra empresa de tecnologia que aposta no offline há mais de 10 anos é a GrubHub. Especializada em simplificar o delivery, a empresa utiliza o metrô para anunciar desde o seu lançamento. Segundo Abby Hunt, porta-voz da marca, mais de 50% de todos os pedidos vêm diretamente do celular. Os anúncios parecem estar recebendo atenção.

E se a ligação entre o off e o on é clara entre Boxed e GrubHub, com outras empresas a relação com os consumidores é muito mais digital do que física. É o caso do Facebook, por exemplo, que utiliza OOH e anúncios veiculados na televisão para promover o Messenger, seu app de mensagens instantâneas. Para Rebecca Van Dyck, chefe de marketing da rede, a campanha possibilita que o Facebook faça “parte das paisagens da cidade” e, ao mesmo tempo, divulga o app nas cidades de Los Angeles e Chicago.

A empresa californiana veiculou outdoors nas cidades citadas, além de painéis instalados em rodovias e trens. O objetivo é mostrar que o Messenger pode ser muito mais que apenas um app de mensagens de texto.

No Brasil, o Google está com uma campanha agressiva para divulgar alguns canais do Youtube, como o Porta dos Fundos, por exemplo. “Além de aumentar a audiência desses canais, a campanha visa demonstrar o potencial do YouTube como um entretenimento e plataforma de negócios para criadores e marcas”, disse a empresa em entrevista ao Adnews.

De quebra, todos estes anunciantes do universo da tecnologia ainda ganham uma pequena repercussão quando internautas compartilham imagens de suas campanhas (como pode ser visto nos exemplos acima). Ver o online e o offline unidos pela publicidade ainda causa certo espanto. Até quando?

Fonte: Ad News

 

Esta entrada foi publicada em Conteúdo, Destaques, Empresas, Inovações, Interatividade, Novidades, Tecnologia e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *